Aposto que, alguma vez na vida, você já parou na frente do guarda-roupa prestes a sair para um compromisso e pensou “socorro, não tenho nada para vestir!” sendo que o seu armário estava cheio de peças. Acertei?

Isso é super comum de acontecer por vários motivos, mas em geral porque acabamos comprando peças novas sem nos desfazer das antigas; seja por apego sentimental, por esquecimento, por achar que algum dia ainda vamos precisar daquilo etc etc.

O fato é que esse acúmulo de itens parados no nosso armário não faz bem pra gente. Francine Jay, no livro Menos é mais: um guia minimalista para organizar e simplificar a sua vida foi sábia ao dizer que

“Precisamos nos livrar do acúmulo para termos tempo, energia e espaço a fim de trazer nosso verdadeiro eu à tona e concretizar todo o nosso potencial.”.

Roupa parada é energia desperdiçada, é desgaste emocional, é acúmulo. Tá na hora de dar um basta nisso, né não?

O closet cleaning (ou limpeza de guarda-roupa) é uma das etapas da consultoria de imagem e estilo, mas com as diquinhas que darei nesse post, você também conseguirá fazer sozinha. Vamos lá!

 

CRIANDO UM CLIMA

Separe algumas horas do seu dia para fazer a análise das suas peças de roupas, sapatos e acessórios com calma, sem nada ou ninguém que possam te dispersar. Esse é o momento de cuidar de suas coisas com carinho e atenção.

Pra ajudar a criar um clima bacana, coloque sua playlist favorita pra tocar, acenda um incenso ou vela cheirosa, coloque uma roupa confortável, silencie o celular e mãos à obra!

como fazer limpeza de guarda-roupa
\o/

COMECE CATEGORIZANDO

Separe suas peças por tipo (calças, blusas, saias, shorts, bolsas…) e observe uma a uma, analisando os critérios que tratarei no tópico abaixo.

Se estiver em dúvida ou houver muito tempo que não usa determinada peça, vista-a, se olhe no espelho e veja se você gosta do efeito daquela peça no seu corpo. O que você sente ao usá-la? Ela ressalta as partes do seu corpo que você deseja ressaltar?

 

CRITÉRIOS DE DESCARTE DAS ROUPAS

Pra não correr o risco de deixar uma peça parada no seu armário sem necessidade, observe os critérios abaixo para determinar quais serão descartadas ou mantidas:

01. Estado da peça: verifique se o item está em boas condições de uso. Se estiver cheio de bolinhas, rasgado, com a estampa desbotada ou esgarçado significa que o prazo de validade daquela roupa já acabou e está na hora de desapegar! Continuar usando uma peça nessas condições passa uma ideia de desleixo que não é interessante pra ninguém, né não?

02. Tamanho: essa peça está vestindo bem o seu corpo atual? Não adianta manter uma roupa que não te serve mais só porque um dia você vai emagrecer; até porque, quando isso acontecer, provavelmente você vai querer ter a alegria de comprar peças novas e essa vai continuar entulhada no seu armário. Só mantenha as roupas que estão de acordo com o seu tamanho: nem maiores, nem menores.

03. Caimento: observe se a cava da blusa ou da calça estão ajustadas ao seu corpo, se a roupa tem um caimento legal ou se fica “estranha” conforme você se movimenta. Levante os braços, dê um “abraço” no ar e veja como a peça se comporta, se te incomoda, etc.

04. Quantidade: pra quê ter dez blusinhas brancas básicas no armário se você só usa duas ou três? Mantenha apenas aquelas que você realmente usa. No caso das calças, se for pra ter mais de uma da mesma cor, certifique-se de que elas possuem modelagens diferentes (uma skinny e outra flare, por exemplo) e que ambas valorizam o seu corpo. Lembre-se: qualidade vale mais do que quantidade!

05. Manutenção: se você ama muito uma peça, mas acaba não usando porque precisa ajustar a barra, a alça ou apertar, por exemplo, vale a pena separar para levar na costureira. Mas já coloca aí na agenda pra fazer isso, hein… O que tem de gente que deixa a roupa parada no armário porque nunca leva pra ajustar não tá no gibi!

06. Adequação: sendo o mais racional possível, analise se a peça se adequa às suas necessidades do dia a dia e ao seu estilo pessoal. De nada adianta ter um monte de terninho no armário se seu trabalho atual é super descolado e informal. Também não adianta manter uma peça que não tem mais nada a ver com você e com seus gostos pessoais atuais.

07. Tempo de NÃO uso: pense em qual foi a última vez que você usou a peça. Será mesmo que você vai usa-la de novo? Salvo algumas exceções como roupas de frio para viagens e vestidos de festa, se você não está usando aquela roupa, provavelmente é porque ela não está mais se adequando ao seu dia a dia e ao seu estilo pessoal.

08. Versatilidade: veja se você consegue pensar em, pelo menos, três looks com aquela peça. Em caso negativo, não faz muito sentido manter, né? Se a ideia é ter um guarda-roupa funcional, inteligente e prático, quanto mais versátil for a roupa, melhor!

 

O QUE FAZER COM AS PEÇAS DE APELO SENTIMENTAL?

Tem peça que, por mais que a gente não use tanto (ou não use nunca), traz consigo um apelo sentimental, uma lembrança boa de uma pessoa importante que você conheceu quando estava usando aquela roupa ou um presente que ganhou de alguém especial.

É super válido guardar aquelas que são mais importantes pra gente, que fazem um carinho no coração quando vemos ou vestimos. Separe um lugar especial para elas aí no seu armário, mas não exagere, apenas mantenha as que REALMENTE são especiais.

Se isso começar a atrapalhar a funcionalidade das peças do dia a dia, talvez seja um indicativo de que você exagerou nas recordações e precisa rever. Afinal, “precisamos lembrar que nossas memórias, sonhos e ambições não estão guardados nos objetos, mas sim dentro de nós.” (Francine Jay).

 

O QUE FAZER COM AS ROUPAS QUE NÃO QUERO MAIS?

Depois de analisar os critérios de descarte, separe três caixas: uma para doação, outra para venda e outra para ajustes.

Só entra nessas caixas as roupas com bom estado de conservação, ou seja, que não servem mais para você, mas que vão servir para alguém. Se a roupa não tiver mais condições de uso, verifique se existe um programa de reciclagem de têxteis em sua região. Não jogue as peças no lixo para não contribuir com o o aumento do efeito estufa.

A caixinha de doação poderá ser enviada para ONGs, abrigos ou entregue a alguma pessoa que você sabe que precisa. As peças que você separou para venda, podem ser colocadas em brechós ou bazares. Já a caixa de ajuste, devem ser levadas à costureira para que possam retornar ao uso o mais rápido possível.

 

ANOTE O QUE PRECISA COMPRAR

Após fazer essa limpeza no seu guarda-roupa, observe o que você precisa comprar. Por exemplo, se você descartou a única calça preta que tinha, já pode incluir esse item básico na sua lista. Percebeu que não tem nenhuma camisa de botão jeans, anota.

Ande com essa listinha com você e, quando houver uma boa oportunidade de compra, consulte-a para fazer uma aquisição consciente, sem exageros.

 

MANUTENÇÃO DA LIMPEZA

De tempos em tempos, repita esse procedimento para evitar novos acúmulos. A ideia é que você só tenha no guarda-roupa as peças que mais ama.

Recomendo que, após um mês da primeira limpeza, você dê mais uma olhada no armário (dessa vez mais rápida) pra ter certeza de que tirou tudo o que precisava sair. Normalmente a gente consegue desapegar de mais alguns itens que passaram da primeira vez porque estamos mais leves, vemos melhor nossas peças e queremos manter essa sensação boa.

Experimenta! 😉

 

Beijos,
Rafa ♥